18/06/21

BB atinge 100% de compensação de gases gerados por energia elétrica

Ação sustentável neutraliza a emissão de 33 toneladas de gás carbônico. Para 2021, novas licitações previstas visam diversificar fontes renováveis.


Com produção própria e aquisição de certificados no mercado, o Banco do Brasil (BB) alcançou 100% de compensação das emissões de gases de efeito estufa oriundos do consumo de energia elétrica de suas dependências. Ao longo do ano passado, foram consumidos um total de 532,8 mil MWh. Com a operação, o BB neutraliza a emissão de 33 toneladas de gás carbônico, o que equivale ao consumo de energia de uma cidade de 222 mil residências em um ano ou ao reflorestamento relativo ao plantio de 75.336 árvores.

Para compensar sustentavelmente o volume de 532,8 mil MWh, o BB adquiriu, por meio de licitação, em contratação inédita na administração pública, 523,9 mil I-REC (International Renewable Energy Certificate) da Distribuidora Digital de Energia Matrix, cujos certificados são provenientes do complexo eólico Serra da Babilônia (BA) e Baixa do Feijão (RN). O montante se une aos 8,9 mil RECs decorrentes da geração de energia da usina solar inaugurada em março do ano passado em Porteirinha (MG).

“Com a agenda ASG ganhando força, a tendência é de crescimento no mercado de I-RECs. O Banco do Brasil, em sintonia com seu compromisso ambiental e social, planeja e aprimora seus investimentos em prol de uma economia cada vez mais sustentável”, afirma Ênio Mathias, vice-presidente Corporativo.

I-REC é uma plataforma internacional de transações que permite aos consumidores adquirirem o certificado de uma energia de fonte renovável rastreada para compensar as emissões pelo consumo de energia elétrica.

A ação integra um dos 10 compromissos sustentáveis assumidos pelo BB, especificamente o ‘Fomento à Energia Renovável’ que prevê, além da compensação de 100% das emissões de gases de efeito estufa oriundos do consumo de energia elétrica, chegar a 90% de energia renovável até 2024.

Energia renovável

Para 2021, as duas usinas fotovoltaicas do BB em funcionamento, a de Porteirinha (MG) e a de São Domingos do Araguaia (PA), inaugurada em outubro de 2020, vão gerar 16 mil I-RECs.  

Ainda neste ano, o BB tem prevista a inauguração de mais quatro usinas: na Bahia, no Ceará, em Goiás e no Distrito Federal, além de outras quatro em 2022, a serem licitadas, gerando mais energia e compensando o consumo de um número maior de dependências.

Quando concluídas, as seis unidades entregues até 2021 vão fornecer 32 GWh de energia por ano, total semelhante ao consumo de 13,3 mil residências. Com essas medidas, o BB deixará de emitir cerca de 1,6 mil toneladas anuais de dióxido de carbono, o que equivale ao plantio de aproximadamente 4,5 mil árvores.

Novas licitações 

O BB pretende licitar e contratar 19 novas usinas em 2021. A matriz energética será diversificada, nas modalidades solar, eólica, biomassa ou biogás, distribuídas pelo Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e Sul.

Até 2023, o BB deverá contar com 29 unidades de geração distribuída (GD) entregues, que fornecerão 117 GWh de energia por ano, total semelhante ao consumo de 48,7 mil residências, e terá 22% de consumo de energia via fontes renováveis, deixando de emitir cerca de 5,9 mil toneladas anuais de dióxido de carbono, o que equivale ao plantio de aproximadamente 16,5 mil árvores. Com essas medidas, cerca de 117 mil certificados de energia renovável no padrão I-REC poderão ser utilizados para compensar emissões do BB.



Veja Também

Twitter


Videos


 
 


 PXL1WEB00504_www-externo-9
© Banco do Brasil
Central de Relacionamento BB - 4004 0001 / 0800 729 0001 SAC BB - 0800 729 0722 Ouvidoria - 0800 729 5678 Deficientes auditivos/fala - 0800 729 0088 Segurança
 

Carregando ...