08/11/21

BB registra lucro ajustado de R$ 5,1 bilhões no 3T21

Crescimento de 47,6% em comparação com o 3T20


O Banco do Brasil registrou lucro líquido ajustado de R$ 5,1 bilhões no 3T21, aumento de 47,6% frente ao 3T20 e 2% em relação ao 2T21. Na visão acumulada, o crescimento em relação ao 9M20 foi de 48,1%. O RSPL encerrou o trimestre em 14,3% e na visão acumulada em 15,0%.

Esse bom desempenho é explicado por menores despesas com provisões de crédito, maiores receitas, com crescimento da margem financeira bruta e das rendas com prestação de serviços, e sólido controle das despesas administrativas.

O Índice de Basileia atingiu 19,34%, sendo 13,17% de capital principal.  

Carteira de crédito

A carteira de crédito ampliada alcançou R$ 814,2 bilhões em setembro/21, evolução de 6,2% na comparação com junho/21 e 11,4% comparado ao mesmo período do ano anterior. A carteira apresentou crescimento em todos os segmentos, com destaque para as operações com o agronegócio (18,5%), MPME (24,6%) e pessoas físicas (14,2%).

O agronegócio foi o principal vetor de crescimento da carteira no trimestre. Além da elevada demanda, o forte desempenho é resultado do histórico protagonismo que o BB tem com todos os níveis da cadeia do agro, com atendimento especializado, profissionais dedicados, conhecimento e relacionamento técnicos e capilaridade nacional. Com isso, a carteira agro cresceu 9,7% na comparação com junho/21, com destaque para o custeio agropecuário (+10,9%), para as linhas de investimento e comercialização agropecuária, (+14,2% e +23,2%, respectivamente) e industrialização (+270,2%). Os títulos do agronegócio também tiveram performance positiva, com destaque para o certificado de direitos creditórios do agronegócio (+159,5%).

A carteira pessoa física ampliada cresceu 5,7% em relação a junho/21 e 14,2% frente a setembro/20, com destaque para a performance positiva nas linhas de crédito consignado (+16,4%), alcançando R$ 104,6 bilhões, empréstimo pessoal (+40,1%) e cartão de crédito (+41,3%) na comparação anual. Resultado da estratégia de alteração do mix para linhas mais rentáveis.

Na pessoa jurídica houve crescimento de 4,3%. Destaque para o crescimento da carteira MPME (+10,0%), influenciada pelos desembolsos de R$ 8,1 bilhões nas linhas do Pronampe. A carteira de grandes empresas foi impactada por liquidações e o direcionamento para alternativas no mercado de capitais, com crescimento nas operações com empresas com faturamento entre R$ 200 milhões e R$ 800 milhões, contribuindo positivamente para o mix da carteira.

Qualidade da carteira: O índice de inadimplência acima de 90 dias da carteira total ficou em 1,82%, inferior ao patamar do SFN, com índice de cobertura de 323,3%.

Dinâmica de receitas e despesas

As receitas de prestação de serviços totalizaram R$ 7,4 bilhões no trimestre, crescimento de 2,2% em relação ao 3T20 e 3,2% na comparação trimestral. O crescimento em RPS em relação ao trimestre anterior foi influenciado, principalmente, pelo desempenho positivo anual nas linhas de seguros, previdência e capitalização (+6%), de consórcios (+11,7%) e de administração de fundos (+9,9%). No acumulado de 9 meses, o crescimento foi de 1%, dentro do intervalo das projeções corporativas.

Como resultado das diversas ações que o Banco do Brasil vem implementando para o controle de custos, as despesas administrativas totalizaram R$ 7,9 bilhões no 3T21, acréscimo de 0,7% em relação ao trimestre anterior, influenciadas principalmente pelo aumento das despesas de pessoal, devido ao reajuste salarial de 10,97% a partir de setembro/2021, concedido aos bancários no Acordo Coletivo de Trabalho 2020/2022 para toda a categoria. Na comparação em nove meses, as despesas ficaram estáveis (+0,2%), mantendo-se dentro do intervalo das projeções corporativas 2021. O índice de eficiência acumulado em 12 meses atingiu 35,9% no trimestre, reflexo do controle de custos e aumento das receitas no período.

Além do banking

O Banco do Brasil ampliou sua atuação como plataforma, inovando na oferta de produtos e serviços além do banking, com o lançamento do programa Marketplace Afiliados na Loja BB. Comprando a partir do link na Loja BB, o cliente receberá em sua conta cashback das compras realizadas na Amazon.com.br. Por meio da Loja BB o cliente poderá, ainda, consultar seu extrato e acompanhar todos os lançamentos futuros relativos às compras efetuadas na Amazon.com.br. Em breve, novas marcas serão adicionadas à Loja BB, agregando ainda mais valor ao relacionamento com nossos clientes.

O BB continua expandindo sua atuação como plataforma. O Broto (broto.com.br), plataforma virtual agro construída em conjunto com a BB Seguros, atingiu R$ 1 bilhão em negócios desde seu lançamento, com e 336 mil acessos na plataforma, sendo um hub de soluções bancárias e não bancárias para os clientes. Destaca-se, ainda, a venda de mais de um milhão de gift cards nos 9 meses acumulados de 2021 na Loja BB.

O Banco do Brasil possui 21,9 milhões de clientes ativos nos canais digitais. Em média, 6,7 milhões de pessoas acessam o app diariamente, qualificando o aplicativo como um dos melhores e mais bem avaliados do segmento.

Negócios sustentáveis

Em setembro/21, a carteira atingiu um saldo de R$ 282,1 bilhões, crescimento de 18,9% em 12 meses, com destaque para as boas práticas socioambientais (+16,3%) e agricultura de baixo carbono (+65,4%), reforçando o papel transformador no desenvolvimento do país para garantir um futuro cada vez mais sustentável.

A sustentabilidade permeia a estratégia do Banco do Brasil e nesse trimestre, a recém-lançada LCA Verde alcançou o volume de R$ 158,4 milhões captados.

Alterações nas projeções corporativas

O Banco do Brasil revisou suas projeções corporativas para melhor representar as expectativas da administração, conforme abaixo:

PROJEÇÕES CORPORATIVAS 2021

Lucro líquido ajustado (R$ bilhões)
    Anterior: 17,0 a 20,0
    Revisada: 19,0 a 21,0
    9M21: 15,1

Margem financeira bruta (%)
    Anterior: 1,0 a 4,0
    Revisada: 4,0 a 6,0
    9M21: 5,3

Carteira de crédito¹ (%)
    Anterior: 8,0 a 12,0
    Revisada: 14,0 a 16,0
    9M21: 14,1

Carteira de crédito - negócios varejo² (%)
    Anterior: 9,0 a 13,0
    Revisada: 12,5 a 14,5
    9M21: 14,1

Carteira de crédito - atacado PJ³ (%)
    Anterior: 3,0 a 7,0
    Revisada: 0,0 a 2,0
    9M21: -4,0

Carteira de crédito - rural (%)
    Anterior: 11,0 a 15,0
    Revisada: 29,0 a 31,0
    9M21: 24,8

Receitas de prestação de serviços (%)
    Anterior: -1,5 a 1,5
    Revisada: Mantida
    9M21: 1,0

Despesas administrativas (%)
    Anterior: -1,5 a 1,5
    Revisada: Mantida
    9M21: 0,2

PCLD ampliada (R$ bilhões)
    Anterior: -15,0 a -13,0
    Revisada: Mantida
    9M21: -9,3


(1) Carteira de crédito: carteira doméstica orgânica, adicionada de TVM privados e garantias - não considera crédito governo

(2) Negócios varejo: considera carteira pessoa física e MPME, com faturamento anual de até R$ 200 milhões
(3) Atacado PJ: considera grandes empresas com faturamento anual superior a R$ 200 milhões e crédito agroindustrial



Veja Também

Twitter


Videos


 
 


 PXL1WEB00502_www-externo-20
© Banco do Brasil
Central de Relacionamento BB - 4004 0001 / 0800 729 0001 SAC BB - 0800 729 0722 Ouvidoria - 0800 729 5678 Deficientes auditivos/fala - 0800 729 0088 Segurança
 

Carregando ...